BlogBlogs.Com.Br

04/08/2008

A República em Laguna, Anita Garibaldi e Tiago Lacerda

O espetáculo A República em Laguna é a encenação de um fato histórico, ocorrido na litorânea cidade catarinense de Santo Antonio dos Anjos da Laguna, hoje, infelizmente, com o nome simplificado para Laguna, apenas.
A meu ver, com o enfoque equivocado.
Em Julho de 1839 os revolucionários Farrapos proclamaram, em Laguna, a República Juliana.
Davi Canabarro e outros, entre eles Giuseppe Garibaldi, anunciaram a independência do estado catarinense, sediando na cidade de Anita a nova república.
Em meio aos acontecimentos o exilado comandante italiano conheceu e se apaixonou por uma nativa conhecida por Aninha do Bentão.
A história de amor dos dois sobreviveu a derrota farroupilha e ainda a mais duas guerras.
Aninha tornou-se Anita Garibladi, heroína de dois mundos (ou três).
E há alguns anos estes fatos vêm sendo narrados por uma mistura de teatro, música e vídeo às margens da Lagoa de Santo Antonio.
Este ano o ator Tiago Lacerda foi contrado para interpretar o galante Garibaldi e, por conta disto, o povo lá de casa, motivado pela admiração que minha mãe nutre pelo "talento" do moço, foi, finalmente, assistir ao show.
Valeu a pena.
O ator global é realmente lindo. Carismático.
Mas o que me incomoda é o fato de sua beleza enfraquecer a relevância de uma acontecimento histórico da magnitude da tomada de Laguna.
Grande parte dos espectadores pagou ingresso e se espremeu naquela arquibancada maldita apenas para ver o galã.
Além disso, a história de amor interpretada por Tiago Lacerda e sua esposa, que descreve o caminho traçado pela aventureira Anita até sua morte na Itália também é linda.
Mas, novamente, o que me incomoda é que tal relacionamento suplante aquilo que deveria ser o mais importante para o povo de Laguna.
A República em Laguna é o verdadeiro acontecimento espetacular de tudo isto.
Anita Garibaldi, Giuseppe e Tiago Lacerda deveriam ser meros coadjuvantes de uma história que tem como protagonista a coragem de um povo a frente de seu tempo.
Que Laguna se orgulhe de receber um ator global é aceitável, afinal, é algo que não acontece todo dia.
Que se orgulhe de ser o berço (controverso) de uma guerreira que conquistou fama em outro continente é compreensível.
Mas que não se esqueça que aqueles que perderam a vida por seus ideais e alçaram o nome da cidade a um posto de destaque na história nacional devem ser a verdadeira razão de orgulho, acima de qualquer romance ou rosto bonito.

2 pensamentos:

Airton Krauniski disse...

Oi Maitê;

Seus textos são uma inspiração para mim...

Vc deve estar em uma correria super corrida, rs):

Eu estou depurando essa coisa de blogueiro, recente para mim, e fiz algumas arrumações em meu blog que gostaria que vc visse...

Abç

http://airtonkrauniski.blogspot.com/

Airton Krauniski disse...

se puder linká-lo em seu blog?

Blog Widget by LinkWithin